De virada, Melo e Matos avançam para as oitavas de final em Wimbledon

0

Dupla brasileira venceu neste sábado (6) o colombiano Barrientos e o português Cabral, em jogo muito equilibrado, adiado de sexta-feira (5) por causa da chuva. Os próximos adversários serão o finlandês Heliovaara e o britânico Patten

Adiamentos, paralisações, três tie-breaks e a vaga nas oitavas de final. O mineiro Marcelo Melo e o gaúcho Rafael Matos comemoraram neste sábado (6) a segunda vitória em Wimbledon. A chuva finalmente deu uma trégua e a dupla brasileira derrotou o colombiano Nicolas Barrientos e o português Francisco Cabral, de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (1-7), 7/6 (7-5) e 7/6 (10-3), em partida pela segunda rodada. No total, o jogo que começou nesta sexta-feira (5), no All England Club, em Londres, na Inglaterra, teve 2h44. 

Os próximos adversários no Grand Slam, valendo vaga nas quartas de final, serão o finlandês Harri Heliovaara e o britânico Henry Patten, que venceram a dupla espanhola Pedro Martinez e Jaume Munar.

“Muito felizes com a vitória. Tivemos esse jogo extremamente complicado. Parar por causa da chuva, no primeiro dia e hoje, que voltamos, jogamos três pontos, e depois tivemos que terminar. Jogamos muito bem o super tie-break, que é o decisivo, no terceiro set, que é até 10. Isso foi bem importante em todos os aspectos para nós”, explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Alto Giro, com apoio de Volvo, Head e Asics.

“Realmente muito contentes, jogando bem na grama, igual já começamos bem em Stuttgart, fizemos um bom jogo lá em Eastbourne e, agora, aproveitando ao máximo esses resultados e no passo a passo aqui em Wimbledon. Acho que estamos bem prontos para a próxima rodada e é seguir com essa confiança”, completou.

Na sexta-feira, o jogou parou no terceiro set, interrompido pela chuva, quando era disputado o sétimo game, com 4/3 para Barrientos e Cabral – a dupla Melo e Matos sacaria na sequência. E, ao ser retomado neste sábado, ainda teve mais uma paralisação por causa do mau tempo antes de terminar.

O dia mudou, mas o equilíbrio não. O terceiro set, assim como os dois primeiros, também não teve quebras e, com mais um empate em 6/6, foi decidido em novo tie-break – que vai a 10 no set decisivo em Wimbledon. Melo e Matos dominaram o tie-break, chegando a abrir 9-1. Os adversários ainda marcaram dois pontos seguidos, mas o mineiro e o gaúcho fecharam em 10-3 para avançar no Grand Slam.

Os dois primeiros sets, na sexta-feira, também foram definidos no tie-break, sem quebras. Os adversários marcaram 7/6 (7-1) para sair na frente. A história se repetiu no segundo, mas desta vez com vitória de Melo e Matos: 7/6 (7-5).

Parceria desde maio – Melo e Matos estão jogando desde maio, conquistando o primeiro título juntos, o do ATP 250 de Stuttgart, em junho, na Alemanha. Disputaram o ATP 250 de Genebra, na Suíça, Roland Garros, Grand Slam em Paris, na França, e os ATP 250 de Stuttgart e Eastbourne, na Inglaterra – na grama, preparatórios para o Grand Slam -, e agora Wimbledon, com sete vitórias desde então.

O mineiro foi campeão em Wimbledon na temporada de 2017 em parceria com o polonês Lukasz Kubot, tendo sido finalista em 2013, com o croata Ivan Dodig. E joga o Grand Slam em Londres pela 17ª vez.

Vinte vitórias em 2024 – Esta é a 18ª temporada de Melo no circuito. O mineiro soma 632 vitórias na carreira. Em 2024, são 20 – uma no ATP 250 de Adelaide, na Austrália, duas no ATP 250 de Buenos Aires, na Argentina, duas no ATP 250 de Santiago, no Chile, uma no Masters 1000 de Indian Wells, duas no Masters 1000 de Miami, ambos nos Estados Unidos, quatro no Masters 1000 de Monte Carlo, em Mônaco, uma no Masters 1000 de Roma, na Itália, uma em Roland Garros, quatro em Stuttgart e duas em Wimbledon.

No ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), Melo aparece como 41 do mundo, com 2.040 pontos. Matos é 40 no ranking, com 2.100 pontos.

Recordista em títulos, número de vitórias, participações em Grand Slam, ATP Finals e semanas no topo do ranking – Marcelo Melo, 40 anos, é recordista brasileiro em número de títulos, 38 conquistas. Dos títulos, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de 11 ATP 500 e 16 ATP 250. Tem o recorde, também, em semanas no topo do ranking da ATP – 56, único brasileiro na história a ser número 1 do mundo em duplas e esteve entre os Top 10 por oito temporadas seguidas.

Duplista mais vitorioso em atividade no circuito, é o maior vencedor entre os brasileiros, tendo alcançado na estreia em Roland Garros 2023 a histórica marca de 600 vitórias. Entre os jogadores de dupla em atividade, Melo é o primeiro a chegar aos 1.000 jogos, mais uma marca histórica, conquistada em Atlanta 2023 – antes, 13 duplistas atingiram e superaram esse número.

É recordista em participações em Grand Slam, com 67 edições, e em presença no ATP Finals – completou oito seguidas em 2020. Em 2019 chegou a 500 vitórias, na estreia no ATP 500 de Washington, passando a ser o 35º jogador de todos os tempos a atingir essa marca.

O primeiro título de Marcelo em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

Mais informações:
Site:  
www.melomarcelo.com 

Fanpage:  facebook.com/marcelomelo83 

Instagram: www.instagram.com/marcelomelo83

Marketing/Comercial: Sérgio Oprea – +55 61 98118-9876 – sergio.oprea@terra.com.br – www.zenithmarketing.com.br

Temporada 2024

CampeãoATP 250 de Stuttgart – Alemanha

Vice-campeão
Masters 1000 de Monte Carlo – Mônaco

Por: ZDL Sports

Campartilhe.

Sobre o Autor

Comentários desativados.

2016 @Templo da Velocidade